DESCUBRA AQUI!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Espécies ameaçadas de extinção, em extinção e extintas: Entenda a diferença!

Classificar as espécies ameaçadas de extinção, em extinção e extintas é uma tarefa difícil e não conta com critérios oficiais.

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/08/especies-ameacadas-de-extincao-em.html

VAMOS DESCOBRIR...

Os números de espécies em risco no Brasil e no mundo não param de crescer. Apesar disso, não há um critério oficial e nem um consenso que possa definir se uma espécie está ameaçada de extinção, em extinção ou extinta.

Sapo-dourado. Espécie extinta. IUCN: http://www.iucnredlist.org/details/3172/0.

Para poder basear, pelo menos um pouco, a classificação, a União Internacional para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), organização internacional de preservação do meio-ambiente, realizou um estudo com algumas análises a fim de estabelecer alguns critérios.

Rinoceronte negro extinto. Foto: joachim_s_mueller.

É com base nesses critérios que o órgão publica, desde 1994, a chamada Lista Vermelha, um documento que detalha a situação de 45 mil espécies de animais, plantas e fungos.

De acordo com as análises da IUCN, quando uma espécie é classificada como extinta na natureza significa que ela não existe mais e não poderá ser vista novamente. Já se ela em extinção é porque quase não há animais da mesma espécie, o que dificultará a sua reprodução e continuação do legado.

Apesar de ter um nome e um sentido parecido, as espécies classificadas como ameaçadas de extinção são aquelas que estão perdendo população e desaparecendo rapidamente, correndo o risco de extinção.

Arara-azul. Espécie Ameaçada de extinção.
Ainda segundo a IUCN, as espécies podem ser classificadas em oito categorias:

• Extinta;

• Extinta na natureza;

• Criticamente em perigo;

• Em perigo;

• Vulnerável;

• Ameaçada;

• Pouco preocupante;

• Deficiente em dados.

Para se chegar a uma dessas categorias, são levados em conta os critérios de quanto a população diminuiu durante o espaço de três gerações ou qual é a projeção de declínio populacional para as próximas três gerações. Há também indicadores de extensão de ocorrência, tamanho da área que ocupa e o tamanho da população de indivíduos maduros (prontos para a reprodução).

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) também publica uma lista dos animais em extinção, realizada com base em reuniões com pesquisadores especializados na fauna e flora. De acordo com as reuniões, as espécies ganham ou perdem o status de ameaçadas.


Fonte: Pensamento Verde.


AGORA QUE JÁ SABEM A DIFERENÇA, VENHA CONHECER ESPÉCIES QUE INFELIZMENTE ESTÃO EM ALGUMAS DESSAS CATEGORIAS (CLIQUEM NAS IMAGENS OU NOS TÍTULOS PARA ACESSAR):

Veja 15 espécies que podem entrar em extinção a qualquer momento

 https://bio-orbis.blogspot.com/2015/03/veja-15-especies-que-podem-entrar-em.html

Extinção de espécies provocada pelo Homem é mil vezes maior que a taxa natural

 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/09/extincao-de-especies-provocada-pelo.html

 https://bio-orbis.blogspot.com/2015/01/10-animais-ameacados-que-podem.html

 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/09/a-sexta-extincao-em-massa.html

E NÃO DEIXE DE SEGUIR NOSSAS COLEÇÕES NO G+, ONDE TODAS NOSSAS POSTAGENS ESTÃO EM CATEGORIAS E VOCÊ NÃO PERDE NENHUMA ATUALIZAÇÃO (CLIQUEM NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS):

 https://plus.google.com/collection/o9fhQB https://plus.google.com/collection/YU0mQBhttps://plus.google.com/collection/slsfQB

2 comentários:

  1. Citando: "
    Extinção de espécies provocada pelo Homem é mil vezes maior que a taxa natural.".

    Quer dizer que o Homem causa maiores estragos do que a extinção conhecida como “A Grande Agonia”, ocorrida há aproximadamente 250 milhões de anos e foi a maior extinção em massa da história do nosso planeta? Durante esse terrível período, mais de 95% de todas as espécies da Terra pereceram, e todas as criaturas vivas que existem atualmente no mundo são descendentes dos poucos seres que sobreviveram a essa severa extinção.

    Menos, pessoal, menos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá mrk357,

      Mas a extinção natural leva centenas, ou até milhares de anos. Pegamos essa reportagem publicado por nove cientistas, na revista Science, entre eles Clinton Jenkins, da Universidade do Tennessee.

      Se você não leu a reportagem leia aqui >>https://bio-orbis.blogspot.com.br/2014/09/extincao-de-especies-provocada-pelo.html<<

      Exagero pode até ser amigo, mas você citou a maior extinção em massa ocorrida na história da Terra. Mas você tem que ver ela pode ter demorado um grande período de tempo, já a que estamos vivendo agora, está muito mas muito mais rápida, questão de décadas o número de espécies extintas diretamente ou indiretamente por nós humanos é devastador.

      Agrademos pelo comentário, um grande abraço,

      Equipe BioOrbis.

      Excluir