sábado, 30 de maio de 2015

A dominação social feminina em lêmures

Lêmures fêmeas se comportam mais como os machos graças a um pouco de testosterona, diz um grupo de biólogos da Universidade Duke, em Durham, NC.

Fêmea de lêmur-preto (Eulemur macaco). Fonte da imagem: Pinterest.
VAMOS DESCOBRIR...

Na maioria dos mamíferos, os machos são mais agressivos e, em sociedades hierárquicas, muitas vezes dominam as fêmeas. Mas em lêmures, a dominância social feminina é sobre a masculina.

Não é incomum para as fêmeas de lêmures morderem seus companheiros, lutarem por um pedaço de fruta, bater na cabeça deles ou empurrá-los para fora dos pontos de dormir nas árvores. Elas marcam seus territórios com aromas distintos com a mesma freqüência que os machos fazem. Os machos geralmente não assumem a sua cota de uma refeição até que as fêmeas tiverem ficadas satisfeitas.

"Se um lêmure macho está desfrutando de um lugar ao sol, por exemplo, a fêmea é provável que ela o empurre de lado e tome o seu lugar", disse Joseph Petty, um estudante de doutorado no Departamento de Antropologia Evolucionária da Universidade Duke.

A maioria dos mamíferos do sexo feminino são pequenas já os machos são bem armados contra predadores. A fêmea dominante em hienas, por exemplo, são maiores e mais pesadas ​​do que os machos. Mas a dominância feminina em lêmures permanece uma enigma.

Macho (preto) e a fêmea (beje) sendo dominante sobre ele. Fonte da imagem: Arkive.
Lêmures fêmeas não são maiores que os machos, e elas não têm garras ou presas maiores para dar-lhes uma vantagem física sobre os seus companheiros.

Petty e seu colega, Prof Christine Drea, disse que as fêmeas têm níveis de testosterona significativamente mais baixos do que os machos em toda a linhagem.

Mas quando eles compararam seis espécies de lêmures, Eulemur rubriventer, E. macaco flavifrons, E. coronatus, E. mongoz, E. fulvus collaris, e E. f. rufus, eles descobriram que as fêmeas de algumas dessas espécies têm níveis mais elevados de testosterona do que outros.

Os biólogos examinaram os perfis de comportamento e de hormônio em aproximadamente 30 indivíduos dos genêros Eulemur.

Em quatro das espécies (Eulemur rubriventer, E. macaco flavifrons, E. coronatus, E. mongoz), as fêmeas estão no topo da hierarquia, e nas outras duas espécies (E. collaris fulvus, e E. f. rufus) os sexos têm o mesmo estatuto.


Macho e fêmea de lêmures preto (Eulemur macaco). Crédito da imagem: Brocken Inaglory / CC-BY-SA-3.0.
As fêmeas dominantes tinham níveis de hormônio do sexo masculino significativamente mais elevadas do que as fêmeas de ambas as espécies mais igualitárias.

"É uma forte evidência de que os hormônios desempenham um papel. Lêmureslóris separaram-se do resto da árvore genealógica dos primatas mais de 60 milhões de anos atrás, mas as duas espécies de lêmures igualitária não evoluíram até muito mais recentemente, nos últimos 2000 anos ", disse Petty, que é o autor principal de um artigo publicado na revista Scientific Reports.

"Pode ser que as fêmeas são mais sensíveis aos efeitos da testosterona do que os machos, estimulando o comportamento agressivo, embora os machos ainda têm mais do hormônio."

Fonte: Sri-News.com

QUE DOMINÂNCIA ELAS TEM NÃO É MESMO? MAS NÃO VAMOS PARAR POR AQUI, ABAIXO TEM MAIS ESPERANDO POR VOCÊS (CLIQUEM NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS:

O lêmure-anão de Madagascar

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/11/nova-especie-de-lemure.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário